Deveria me preocupar?

As manchinhas, “mosquinhas” ou nuvens que você vê às vezes se movendo em seu campo de visão são chamados floaters. São frequentemente visíveis quando avistamos uma planície com profundidade, um espaço em branco ou um céu azul.

Este fenômeno visual tem sido descrito por séculos, os antigos romanos chamavam-no “muscae volitantes” ou “moscas voadoras” já que pareciam pequenas moscas voando sem parar. Floaters são na verdade pequeninos grupos de gel ou pedacinhos de células dentro do vítreo, um fluido gelatinoso que corre dentro da cavidade do olho.

Embora estes objetos pareçam estar na frente dos olhos, estão na verdade flutuando neste fluido dentro do olho lançando suas sombras na retina (a camada interna do olho onde incide a luz). Mover os olhos para um lado ou outro, para cima e para baixo, cria correntes dentro do vítreo capazes de mover tais flutuadores para fora em direção a sua linha de visão.

O que causa essas mosquinhas?

O gel do vítreo degenera na meia idade, geralmente formando microscópios grumos ou fios dentro dos olhos. Redução do vítreo ou condensação é chamado descolamento posterior do vítreo, sendo uma causa comum das mosquinhas.

Também acontece com frequência em pessoas míopes ou naquelas que se submeteram à cirurgia de catarata ou “yag laser”.

Ocasionalmente, mosquinhas resultam de inflamação dentro do olho ou depósitos em forma de cristal que são formados dentro do gel vítreo.

O aparecimento das mosquinhas, seja no formato de pequenos pontos, círculos, linhas ou nuvens, devem ser avisados, especialmente se aparecerem de repente. Contudo, não há nada a ser feito, simplesmente resultam do processo da idade.

Devemos levar isto a sério?

O vítreo cobre a superfície da retina. Algumas vezes a retina é torcida quando o gel vítreo degenerado sai. Isso causa um pequeno sangramento dentro do olho que pode parecer ser como um novo grupo de floaters. Uma torção da retina pode tornar-se séria caso se transforme num descolamento de retina. Um súbito ataque de novos floaters ou flashes de luz deve ser imediatamente avaliado por seu oftalmologista. Sintomas adicionais, especialmente perda de visão periférica ou lateral, exige repetidos exames oftalmológicos.

Que pode ser feito com os floaters?

Floaters podem interferir numa boa visão, principalmente durante a leitura podem incomodar bastante. Embora não haja tratamento ou cura para a maioria dos floaters, eles costumam diminuir por si só com o passar do tempo.

Pode-se tomar algumas medidas simples para temporariamente tirá-los da nossa frente.

Se um floater aparecer diretamente na sua linha de visão, tente mudar seu olho de lado. O fluido interno pode rodopiar e permitir ao floater se mover para outro lugar. Estamos mais acostumados a mover os olhos de um lado para outro, mas olhar para cima e para baixo irá causar diferentes correntes dentro do olho e se tornar mais efetivo para o floater sair do caminho.

O que causa pequenos clarões?

O gel vítreo que preenche o interior do olho às vezes produz a ilusão de flashes de luz ou raios de luz. Você deve ter tido esta sensação se já bateu seu olho e “viu estrelas”. Os flashes de luz podem ir e vir por várias semanas ou meses. Isto ocorre comumente quando vamos envelhecendo e não é motivo para preocupação.

Em raras ocasiões, contudo, flashes de luz acompanham um grande número de novos floaters e até uma perda parcial ou sombreamento da visão. Quando isto ocorrer, procure prontamente seu oftalmologista para determinar se não houve um descolamento de retina.

Flashes de luz que aparecem como linhas irregulares ou “ondas quentes”, num período de 10 a 20 minutos e presente em ambos os olhos, são como dores causadas por um espasmo de veias de sangue no cérebro.

Contudo, tais linhas ou ondas comumente ocorrem sem uma dor de cabeça subsequente. Neste caso, os flashes de luz são conhecidos como dor oftálmica, ou dor sem dor de cabeça. Se você experimentar um início de muitos flashes de luz, procure logo seu médico. O exame irá envolver uma observação cuidadosa da retina e gel vítreo após suas pupilas estarem dilatadas. Experiência médica é fundamental para ser feito tal exame.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *