Consultas: 11 3016-9900

11 94640-4662

Atendimento: Segunda a Sexta-Feira, das 8h as 20h e Sábados, das 8h às 14h

Córnea e doenças oculares externas

Transplante de Córnea

O Transplante de Córnea é uma cirurgia que consiste em substituir a córnea de um paciente por uma córnea saudável, a fim de melhorar a visão (finalidade óptica) ou corrigir perfurações oculares (transplante tectônico). Os transplantes com finalidade óptica podem ser da córnea toda, ou seja, todas as suas camadas (transplante penetrante) ou apenas uma das camadas (lamelar), dependendo da patologia do paciente.

O transplante de córnea é realizado com anestesia local, sob sedação, sem necessidade de internação hospitalar. A córnea doente é cuidadosamente retirada através de uma incisão circular e em seguida, a córnea saudável é posicionada e fixada através de suturas.

A indicação geralmente é a última alternativa terapêutica, e pode envolver patologias como:

  • Ceratocone avançado;
  • Alguns tipos de doenças congênitas da córnea;
  • Complicações após cirurgias intraoculares prévias;
  • Trauma oculares.
  •  

    Pterígio

    O Pterígio é o crescimento progressivo de tecido fibroso na conjuntiva (geralmente nasal) em direção a córnea. Quando o pterígio invade a córnea e a deforma, pode gerar grau de astigmatismo e por vezes redução da acuidade visual, sendo indicada a retirada cirúrgica.

    O procedimento é realizado sob anestesia local e sedação e dura cerca de 30 minutos.

    A recuperação é gradual, e o paciente pode apresentar sintomas de sensação de areia, vermelhidão conjuntival, inchaço palpebral e embaçamento visual no pós-operatório. Atualmente, o uso da cola biológica como opção para substituir os pontos antes usados neste procedimento, pode reduzir muito os sintomas de desconforto do pós-operatório.

    Caso tenha diagnóstico ou suspeita de pterígio, agende uma consulta com o médico oftalmologista para avaliação especializada.

     

    Tumores Oculares

     

    Tumores são lesões expansivas e geralmente nodulares, que podem acometer o globo ocular e pálpebras. Alguns são de natureza benigna e outros, maligna, os quais necessitam de biópsia e tratamento.

    Em bebês recém-nascidos é obrigatório o Teste do Reflexo Vermelho, que pode diagnosticar um tipo de tumor maligno e congênito chamado retinoblastoma.

    Em adultos os tumores de aparecimento mais frequentes são os carcinomas, melanomas e linfomas, que necessitam de tratamento.

    Os sintomas dependem da localização, podendo ser lesões na área externa do globo ocular e pálpebras ou embaçamento visual ou alterações do campo visual, dependendo do tipo do tumor e da localização dentro do globo ocular.

    Central de atendimento